quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

...Entre uma garrafa e outra...

Bom jovens tavernandos,

Como assim o sabem, a mais de uma semana (duas talvez) eu não atualizo as postagens da taverna.

O fato é que nao quero encher isso aqui só com receitas (como os cadernos da minha avó) e nem de contos pra não ter nada meu (MEU de verdade). afinal de contas, meu blog também é uma espécie de diário virtual.

Então, para não abandonar o blog (QUE É UM FATO QUE EU NÃO VOU FAZER MESMO), eu vou fazer uma pausa.
Na verdade, o Dom Rapouso, vai ter que esperar um pouco o Rene William fazer o que ele já fez uma vez: fazer os preparativos do casamento.

Por isso, sem mais delongas, eu vos informo que tão cedo preparo-me para Meu casamento, e deixo abaixo a vossas disposições o croqui do convite de um momento tão importante para mim!

Acredito que os senhores compreenderão, e em breve (assim que o meu pc chegar na minha casa nova) terei mais calma para produzir os contos, fechar o projeto do livro e outras cousitas más!

sem mais: ei-lo

grato a todos pela atenção dispensada até o momento. pretendo não demorar.

atenciosamente








Autor do blog da Taverna da Raposa.

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Receita da Taverna: Cerveja Amanteigada

Salve tavernandos!

Enquanto não chega o meu pc aqui na bahia! somo o meu caderno de receitas e delicias com umas especiaria muito peculiar!
esta bebida foi citada em alguma coisa que eu li hoje, pela manhã e fiquei curioso para descobrir como se faz.
de fato não é uma receita muito antiga e nem utiliza elementos da culinária medieval, mas o nome traz a memória das lúgubres tavernas alemãs. E então eis aí a receita que vos trago.

Cerveja Amanteigada!

Ingredientes:

470ml de Sorvete de Baunilha derretido;
4 colheres/sopa de manteiga em temperatura ambiente;
200ml de açúcar mascavo;
2 colheres/chá rasas de canela;
½ colher/chá rasa de noz moscada;
¼ colher/chá rasa de cravo (moídos);
600ml de cidra de maçã.

Elaboração
Misture manteiga, açúcar e temperos em uma tigela grande. Adicione o sorvete e deixe congelar. Aqueça a cidra em uma panela por 3 min (use fogo alto para ferver e eliminar o alcool)depois espere esfriar um pouco . Encha cada copo com uma colherada generosa da 'poção' de sorvete e derrame sobre ela a cidra aquecida - vai espumar, como cerveja, o que explica seu nome.

há quem queira seguir uma receita "original", mas "elas por elas" vc fique livre para substituir os elementos que quiser sem perder o foco básico. por exemplo: eu substituiria a cidra por cerveja,
bom apetit!

sábado, 5 de fevereiro de 2011

Receita da Taverna: Hypocrás




Salve tavernandos mais uma vez!
de fato a muito não abro esta taverna e não sei por que isso acontece todo janeiro...rs.
mas sem delongas é com alegria que trago até vós algumas atualizações além de uma culinária de muito bom gosto.

Mas primeiro, vamos às atualizações:

1º Como alguns já o sabem, eu Rene William, me encontro num local geográfico muito diferente do que costumo estar... ou seja: estou na bahia desde o dia 27 de dezembro. todos os fatos de lá pra cá não cabem em poucas palavras, só trocando uma idéia via telefone mesmo (quem sabe o meu telefone pode mandar mensagem que eu respondo, e ser for tim até retorno!). mas estou aqui! me encontrando cada vez mais e não penso em sair daqui tão cedo.

2º embora tenha saido as pressas de mantena e não pude dar o devido tchau a alguns amigos, mantenho sim o contato com todos estes e por email aos poucos vou contando como vim parar aqui (coisa que nesse susto nem eu sei direito). rs...

3º o Projeto do livro das crônicas da taverna continuam de pé. pretendo torna-lo mais sério com o passar dos dias, e acoplar outros contos a ele. (contos ainda não publicados). a principio, penso em escalar um time de consideráveis pessoas (ingrd vc está escalada!! tá?!) para que me ajudem com correção, diagramação, Re-ilustração e publicidade do mesmo no momento certo. aguardem!

e por fim, vamos ao que interessa né?! hehehe

Hypocrás.

o prato de hoje na verdade é um copo! o,O
sim!

O Hypocras (Ipocras, Ypocras, Hyppocras, Hippocrass) é uma das bebidas da Idade Média. As primeiras receitas conhecidas deste vinho fortemente açucarado a que se adicionam especiarias remonta ao séc. XII e são maioritáriamente da Catalunha e do Langue d'Oc (França).
O seu nome deriva provávelmente de Hipócrates, frequentemente considerado o pai da Medicina, e à bebida estariam associados poderes "curativos".
Este vinho pode ser tomado como aperitivo ou como acompanhamento de sobremesas, especialmente de chocolate e é relativamente simples de se fazer, depois de feito e coado pode ser guardado durante bastante tempo, julgo que vários anos.


Ingredientes:

7,5 dl de vinho (pode ser tinto ou branco, ou uma parte da cada, uma vez que há receitas com um e com outro)
130 g de mel
100 gr de açúcar (usei açúcar integral)
4 cravinhos (ou 1 colher de café rasa de cravinho em pó)
1 pau de canela (ou 1 colher de café rasa de canela em pó)
1 colher de café de raspas de noz moscada
1 colher de café de gengibre fresco ralado
4 grãos de pimenta
1 mão cheia de passas de uva


Preparação:
Leve o vinho ao lume a aquecer, em lume brando sem deixar ferver, juntei as especiarias e deixe-a macerar de um dia para o outro.
Filtrei o vinho várias vezes e armazenei numa garrafa bem rolhada até ao dia de servir.
A filtragem pode ser feita através de várias gases ou utilizando os filtros de café.
Pode ser feito com a antecedência de um mês ou dois antes de servir, embora digam que ele é melhor passado um ano.

Notas Pessoais:
seja aconselhado como aperitivo, servido fresco mas sem gelo, desconfio que, à semelhança do ponche ou do Glühwein, será agradável, se servido quente, numa noite fria de Inverno. Mas isto, claro, é só a minha opinião.