domingo, 31 de outubro de 2010

o que eu vi


estou bebado e são 3:38 da manhã

o único lapso de humanidade sóbria que me estende é PENSAR NELA!

e aos que me conhecem de verdade, sabem que quando alguem quero trazer a minha memória reuno tudo o que tenho por perto o que inclui livros, fotos, videos e músicas.

ah as músicas! como adoro troca-las com ela! pois bem.

para completar, abri o orkut...

em parte não há coisas tão legais para se ver... mas fazer o quê? aproveitar o que há de bom!

e então retornamos ao título da postagem o que eu vi.

Vi os olhos mais lindos que os meus útilmos tempos me prestigiaram, vi uma bebida e vi um sorriso.

não quero dizer que algo é falso ou verdadeiro. mas quero dizer o qeu eu vi. o que eu vi através de tudo isso.


o que ví é fantasticamente inigualavel a imagem que todos captam durante os dias normais. o que ví, embora fosse sorriso, poderia eu afirmar a fuga da realidade de um passado tão complexo que eu não me atreveria a julgar ou pesar. mas o outro lado não esconde o ruim. afinal, o mal é um ponto de vista. rs.....


um outro lado que esconde a esplendida que por temor ou timidez não veio a tona ainda.... ainda!

por isso eu estou aqui! para traze-la onde sentirás bem, onde reconheces o teu lugar. aqui comigo...

as palavras agora são o único afago que ofereço devido a fatores qeu sabemos, mas são os meus braços abertos que lhe esperam para em fim repousares, seres ouvida e ouvida.



bem....


hoje em dia, o que eu vi é muito forte! e muito importante!

não quero deixar tal vinho tornar-se vinagre

e por isso é que a guardo com tanto carinho e ansiosamente O DIA...


aquele beijo

domingo, 24 de outubro de 2010

SOBRE LARGAR E VIR....


O texto de hoje não é claro nem conciso. mas se é algo que pulsa aqui dentro de mim, com certeza vai escorrer pelos dedos, tocar o teclado e letras virar.

não há nada Ordenado daqui para baixo, mas se aqui, encontrares algo para comer e isto lhe limentar a alma. tão certo estarei compensado.

Falo hoje sobre o que considero como um impeto sentimento: Eternidade.

"Nada é eterno, mas que seja eterno enquanto dure" - a eternidade almejada aqui transcende o tempo ganhado ou perdido e toca as cordas da Intensidade. o Eterno, está muito mais para Intenso do que para longinqüo. mas não significa que algo tão bom deve ser tão curto...
se é bom tem que continuar!

portanto, encontrar algo realmente BOM, é complicado hoje em dia. mas não impossivel.
na realidade é indefinido dizer se algo é realmente BOM logo de cara, mas são pequenas... micro-coisas que alertam para um tesouro tão inesperado ou inestimado tão tão perto...

para os primeiros socorros da vida humana (ou seria animal?) pensar em algo realmente BOM é pensar em dinheiro. pois é ele que vai trazer tudo o que estiver faltando para as tristes vidas que nada conseguiram conquistar.
Em seguida o status, que nos proporciona um certo "pódium" social para que todos olhem, vejam e louvem o que eles acham que é certo... mas muitas vezes nós não sentimos a mesma coisa...


mas NÓS queremos mais!


Cansado de respirar, você reecosta em sua cama e pensa: pronto! tudo está no seu devido lugar... e aí vc percebe que algo bate a porta fechada do quarto... estranhando o horário de alguem chamar a porta, você se levanta, abre a porta e olha para os dois lados.... ninguem...
fecha a porta e volta a deitar.... silencio no quarto cheio de coisas.... bate na porta outra vez... tum tum tum tum.... se levanta e abre a porta novamente, desta vez irritada... olha para o lado e para o outro e ninugem.... sorrateiramente algo lhe chama a atenção no chão... você olha.... é um corção. sim! um coração humano, vivo ali no chão!

não há medo, pavor, susto ou espanto... exceto o a pergunta: o que um coração faz batendo na porta do meu quarto a essa hora da madrugada? sem delongas apanha-o e deixa ao lado enquanto tecla no computador... o sono vem e dorme....


no outro dia, o coração havia sumido... onde estaria? alguem o guardou? jogou-o fora? ou achou que era lixo e deixou na lata la fora? não se encontra mais... coração ingrato nem ficou para agradecer o cuidado de ter dormido abraçado com ele...


levantou, e foi ao banheiro escovar os dentes... a respiração estava pesada e a voz roquinha...

tentou respirar fundo diante do espelho e pela primeira vez ao longo dos sustos da vida, conseguiu.

havia algo novo.


foi trabalhar e se lembrou de conversas que teve na noite anterior antes da chamada da porta...

e o sangue pulsava duas vezes mais rápido...

fim de semana e todos saem para as baladas e tudo é a mesma coisa de sempre....

roupa, maquiagem, sorriso, cerveja e fotos... tudo em preto e branco... como uma capa para que ninguem vesse o que é ou como está...


até que... "alguem está olhando demais pra esse lado..." vc pensa: ha algo desarrumado? ou feio?

na verdade alguem está vendo o real.

logo, percebe-se que esta vendo o real e tão logo não há mais máscaras para ambos.

sim, poderia ser alguem que apenas conseguiu ver "alem" do que se esconde... mas há algo mais...

batendo aí dentro... e quando ele se aproxima percebe que é algo batendo dentro dele tb na mesma cadencia....


um abraço e um beijo são o suficiente para o corpo reconhecer quem estava batendo a porta (às portas dos quartos)...

e então está feito.


o dia tem cor, o campo tem flor...e flores com cores que nenhum dos outros amores com todos os seus pudores e despudores, pesares e rancores pudessem sobrepujar o que a alma pulsava tão instintivamente.


ponto. alma alimentada, e corpo sedento de alento...

mas com a alma repleta o corpo aguarda.


aguardam...


aguardam perdidas e despedidas, dores e rancores que terão de causar ou ouvir se escolherem este lado. e sabem que não será fácil.


mas (e existem inumeros mas) que poderiam ser postados. entretanto o MAS aqui seriam desculpas para racionalizar e não seguir o que se quer. ou acovardar e não dizer. tentei...


paga-se o preço de ser feliz. e ter a companhia que a cada dia intenta em explorar a cada espaço da vida, da casa, das letras, dos risos, das estradas, das conversas, e dos sonhos...

sonhos...


sonhos e planos que se dão tão bem.
cujas horas passam-se rápido e cada palavra é guardada como ouro aki dentro do peito.
cujos risos não se sessam e as memórias de dor se transformam em conforto na companhia do outro

que qualquer simples passeio pela noite entre um quarteirão e outro é no minimo uma aventura com um susto a cada esquina dobrada. e a sensação de proteção ao braço do outro.


Proteção...


ainda pela simples e ingenua aventura qeu se passa em nossas vidas, acreditamos numa proteção que descobrimos entre nós. mesmo que comicamente haja uma proteção contra "outras pessoas" rs....ainda sim é uma forma de cuidado....



Cuidado....


Ciúme é como sal... nenhum, não tem tempero.... muito, não desce a garganta... por isso que o cuidado e representado na proteção do que se passa através do tempo... dos olhos.... do sorriso... dos braços... das pernas... rs... mas em fim... são coisas a se ensinar ou se aprender... aprender a não temer....



não temer...


não temer o reencontro com algo que outrora lhe causou dor.
ter coragem de enfrentar e aprender a domar a maquina.
e na vida uma lembrança levar... "aprendi a não temer com um alguem..."


em fim... é isso....


se algo por aqui pulsou seu coração com maior força, ou mesmo o fez parar por algum instante...
se algo por aqui fez a mesma coisa com a respiração... ou lhe fez suar as mãos...

sabe o que quero dizer sobre largar e vir....

faça o que tem que ser feito.
porque eu tenho feito. e não me arrependo.

Aquele beijo.



















domingo, 17 de outubro de 2010

Metal contra as Nuvens


Não sou escravo de ninguém
Ninguém, senhor do meu domínio
Sei o que devo defender
E, por valor eu tenho
E temo o que agora se desfaz.

Viajamos sete léguas
Por entre abismos e florestas
Por Deus nunca me vi tão só
É a própria fé o que destrói
Estes são dias desleais.

Eu sou metal, raio, relâmpago e trovão
Eu sou metal, eu sou o ouro em seu brasão
Eu sou metal, me sabe o sopro do dragão.

Reconheço meu pesar
Quando tudo é traição,
O que venho encontrar
É a virtude em outras mãos.

Minha terra é a terra que é minha
E sempre será
Minha terra tem a lua, tem estrelas
E sempre terá.

II

Quase acreditei na sua promessa
E o que vejo é fome e destruição
Perdi a minha sela e a minha espada
Perdi o meu castelo e minha princesa.

Quase acreditei, quase acreditei

E, por honra, se existir verdade
Existem os tolos e existe o ladrão
E há quem se alimente do que é roubo
Mas vou guardar o meu tesouro
Caso você esteja mentindo.

Olha o sopro do dragão...

III

É a verdade o que assombra
O descaso que condena,
A estupidez, o que destrói

Eu vejo tudo que se foi
E o que não existe mais
Tenho os sentidos já dormentes,
O corpo quer, a alma entende.

Esta é a terra-de-ninguém
Sei que devo resistir
Eu quero a espada em minhas mãos.

Eu sou metal, raio, relâmpago e trovão
Eu sou metal, eu sou o ouro em seu brasão
Eu sou metal, me sabe o sopro do dragão.

Não me entrego sem lutar
Tenho, ainda, coração
Não aprendi a me render
Que caia o inimigo então.

IV

- Tudo passa, tudo passará...

E nossa história não estará pelo avesso
Assim, sem final feliz.
Teremos coisas bonitas pra contar.

E até lá, vamos viver
Temos muito ainda por fazer
Não olhe pra trás
Apenas começamos.
O mundo começa agora
Apenas começamos.

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

O canto do banshee

Quatro vezes cantou
Cinco vezes tremi
Quatro vezes uivou
Cinco vezes ouvi
não ha nada a se fazer
a não ser aguarda-la chegar
--------------
pintei com azul as cicatrizes que possuo
e do meu corpo todo pelo trancei
beijei a mulher e os filhos
e a minguante vi nascer
-------------
caminhei até o monte entoando cantos de lamento
mas nao olhava para o chao
pronto para a danca da morte
banshee se apresentou então
----------------------
com a mortalha alva e a máscara da morte a vi surgir
e um estridente canto de grito tive de ouvir
e esperando ela que eu em chão descesse os meus joelhos
não só eu, mas no espelho dos meus olhos ela pode contemplar
tamanho era o pasmo dela quando me vira suportar
------------------
quatro vezes gritou
cinco vezes tremi
quato vezes tentou
cinco vezes resisti
sem tentar nada a fazer de mim se afastou
e honrou com corgem aquele que me gerou
-------------------
retornou o ruivo a casa
a mulher e os flhos beijar
de uma vida que não fora ceifada
de uma alma que soube lutar
---------------------
e então sobre a minguante todos cantam
aquele cuja banshee encarou e vivo saiu
cujos joelhos não se dobraram
e a ela resistiu...
Pena-de-Prata, Galliard dos Fianna

terça-feira, 5 de outubro de 2010

Um meme idiota.... mas é bom pra passar o tempo....



mês: abril


dia da semana: hoje eu gosto muit das quartas... mas não sei agora...


hora do dia: 17:30


planeta ou astro: Lua


uma direção: leste


um móvel: escrivana


líquido: vinho


um pecado: Colera


uma pedra: safira


uma árvore: carvalho


uma fruta: Amoras!


uma flor: "Rôssas"


um clima: muito frio


um elemento: fogo


uma cor: preto


um bicho: lobo.


um som: Vibratos


uma música: Outra vida (to meio reggae hoje! rs....)


estilo musical: Gosto muito de Rock'n roll e não tenho preconceito contra outros... mas por favor, não me venha com sertanojo, axé, pagode e funk....


um sentimento: confusão


um livro: biblia (fato)


uma comida: japonesa


um lugar: escócia


um gosto: Doce, muito doce!


um cheiro: amadeirado


uma palavra: incivilizado (existe esssa?)


um verbo: atuar


um objeto: minha moto!


parte do corpo: olhos


uma expressão facial: ¬^


desenho animado: Batman! (^-^)


um filme: Doce novembro




um número: 16


Se eu fosse uma estação: inverno


uma frase: "Today I'll prove to you that I was BORN TO BE WILD!"