terça-feira, 1 de março de 2011

Para minha amiga Ingrid, num momento confuso!



"Uma pessoa como eu, acostumada a ter controle de todas as situações, sempre sabendo o que quer e o que sente, não pode com essa lacuna emocional".




Numa noite estrelada, em que o Mestre estava bem próximo de partir deste mundo para o outro, aproximou-se seu principal aluno e lhe apresentou um problema.

De fato, era um problema. mas não aos olhos do Mestre, pois sabia que tudo se encaixaria perfeitamente no fim. Sendo assim propôs que um dos pupilos do seu principal aluno resolvesse o problema.

O principal aluno do Mestre, disse a ele que seu pupilo não se encaixava no perfil de alguém que poderia resolver algum problema. E que decididamente era um perfeito acidente.

Ao que o Mestre respondeu: O acidente não existe. O que existe é o cumprimento de destinos, e você só compreenderá isso quando deixar a ilusão de que tem o controle das coisas.
por exemplo: Olhe este pessegueiro (ambos olharam para cima). Sim! Este pessegueiro! Não posso faze-lo florir quando me agrada, tão pouco faze-lo frutificar quando tenho fome, mas tudo ao seu tempo.

Ao que seu aluno principal retrucou: Mas eu posso controlá-lo... - desferindo um golpe no tronco do pessegueiro. Este por sua vez desprendeu inúmeros pêssegos maduros e o aluno principal pegou um , partiu-o com as mãos, fez um buraco com os pés no chão jogou a semente no buraco .

O Mestre, sabiamente sorriu e caminhou até mais próximo dele. e então disse: ...e mesmo assim ele apenas cumprirá o seu destino. esta semente crescerá e lhe dará um pessegueiro! talvez você deseje um melão ou uma laranja, mas ele apenas te dará um pêssego.

Contentado com o ensinamento do pêssego o aluno estiou. Mas o problema ainda era vivo e então havia mais uma forma de contra-atacar o que o Mestre disse. Nisto, desferiu: Mas o pêssego pode cumprir o destino de nascer pêssego, e mesmo assim pode ser um pêssego fraco (ao que se referia também ao seu pupilo).

Obviamente o mestre também tinha uma resposta, e então disse enquanto tampava o buraco feito pelo pé do aluno também tampando a semente agora plantada: Mas, poderá não ser, se estiveres disposto a cuidar dele, nutri-lo e a crer nele.

Ao que desarmado revidou de forma desesperadora: Mas como? como?

E o Mestre Serenamente respondeu: Tu deves apenas Crer! promete-me aluno meu, que crerás?

E olhando para baixo, seu melhor aluno disse: eu prometo...

Então balbuciando pela velhice, disse o mestre: bem, então é chegada a minha hora! e deves continuar teu caminho sem mim.

Mais que desesperado, disse o aluno: Mestre! não me deixe! o senhor não pode ir agora!

E juntamente com o forte vento que ajuntou todas as folhas do pessegueiro no ar como um espírito deixando a terra, o Mestre virou-se para o aluno, saudou-o e apenas disse: Tu deves Crer!

e assim se foi...




As vezes nos deparamos com situações complicadas, e a mais sábia dica de hoje é esta!
que você seja o melhor aluno, o pupilo "acidente" ou mesmo, o pêssego! mas cumpra o destino sem acreditar que tens o controle. assim, anulará os acidentes. apenas Creia! creia no seu trabalho, nas suas bases, Creia! afinal tudo já está guardado pelos olhos do Verdadeiro Mestre!




Um abraço de quem você constantemente
insiste em chamar de "mestre"!





P.s.: Eu procurei muito este vídeo em português
(ou em inglês, com boa qualidade)
mas vai ter que ser o italiano mesmo.