sábado, 14 de fevereiro de 2009

ser, estar, permanecer, ESCREVER!



Muitas vezes quando criança, uma professora gorda me batia com a régua na mão e falava: "ah muleque! um cavalão desse tamanho não sabe o que é o verbo "tchubí"? e eu (o maior da sala) sem graça, com os olhos cheios de água olhava pra baixo e a lágrima escorria... putz... esse era eu, fazendo o papelão na frente de todos os meus colegas: mais pobres, mais ricos, mais burros, mais inteligentes e até da loirinha com quem eu era apaixonado na infância.
então a "fessora" me fazia escrever no quadro todas as malditas palavras...

...e com vergões numa mão, um giz na outra e choro no rosto, tive que descobrir o que significa SER, ESTAR...! hoje, deslizo sobre estas palavras como um gourmet desliza a colher de pau sobre um delicioso prato francês. tá certo que meu "ingrês" não é lá aquelas coisas, mas dá pra pedir trampo, ir ao banheiro, e dizer: "eu não sou valadarense" (pra não ser despedido do trampo)!!!.. rs... brincadeira, pessoal.

O projeto pessoal de vida é compreender e saber domar exatamente este estado! deixar de ESTAR feliz, para SER. e além de SER feliz, PERMANECER...

...incondicionalmente.


Era essa inconstância que me matava! e hoje apenas me belisca! (ou seja, era muito pior! hoje não sumiu, mas me fere muito menos...), entenda que não digo isso com o intúito de ser como um ator que mesmo em tempo de guerra dança sobre cadáveres ou pratica sapateado sobre o campo minado. de forma alguma sou um ator para tais sensações, mas me dispus em ser, estar e tb permanecer feliz. tudo bem que até algumas vezes eu esteja triste, mas o meu ser, O MEU SER, esse sim, confia, espera e é feliz.

***

creio também que quando um copo se enche... obviamente transborda, e o mesmo acontence conosco. quando há algo em nós, logo vai transbordar! seja pela boca, olhos, corpo todo, mas pra nós... há um teminal imortal: as mãos!
são elas que escrevem o que SOMOS, como ESTAMOS, mas não creio que escrevem como nós PERMANECEMOS, por isso creio que o ESCREVER devia pertencer a tal classe de estados e sentidos do ser humano. (LETRAS que me corrija a viagem que estou escrevendo agora!).
digo porque a escrita é como uma fofoca que não para, se vc escreveu num dia de descuido, todos comentarão para sempre o que ESTÁ escrito. não como VOCÊ ESTÁ AGORA!

de fato, não lamento a escrita, se não, não estaria aqui para faze-lo! mas, escrever e como executar, assassinar! podes faze-lo com alegria como um lunático, ou podes faze-lo com lágrimas como um maníaco depressivo. Entretanto o fim é unico. está feito e todos estão lendo. logo mais, voce dará voltas em seu blog, digo cemitério e lamentará os erros, ou aprenderá com eles. "escrever num blog, é como ter a oportunidade de rever a vida, porém de forma escrita".

Muitas são as vezes que leio uma mensagem, recado e/ou email, que me diz: está tudo bem! (é mesmo! as 14:30 ESTAVA TUDO BEM) só que agora são 12:25 e AGORA NÃO ESTÁ TUDO BEM... e eu aprendo a não chegar com a "cara de 14:30" mas sim de uma "?" pra saber se com todos está ou não tudo bem!!!

a escrita (e logo a leitura) é como se prender ao passado! se eu quizer ver todos bem, mesmo no enterro dos pais de todos, é só eu ler os posts qeu combinam com o famoso "xisdê". o mesmo vale para o dia ruim em que eu quizer imaginar todos cabisbaixo...

portanto, vivamos a vida NO MOMENTO!

digo isso e tenho aprendido!


é estranho, mas quando eu terminar (ou você ler) eu já esteja muito feliz!!!!

6 comentários:

Michele Hubner disse...

hun, eu axo q este post falou cmg..

Cínthya disse...

Olá, gostei muito do seu blog, que bom que achou o meu simpático, rsrs
Visitarei sempre
Abraços

Hudson Roati disse...

Vou me limitar a um pedacinho mais leve do post.. Ser valadarense...rs
Tô aqui na ilustríssima Uberaba e, sempre que falo de onde sou, alguém me olha torto... É uma merda...rs
No mais, vou na busca do ser/estar "happiness".
Abraço!

Ind Caroline x) disse...

"...deixar de ESTAR feliz, para SER. e além de SER feliz, PERMANECER..."
Tenho me apegado nisso... e realmente tem funcionado, sai do meu estado de inércia e não admito mais a tristeza, ela não é pra mim um estado, é uma passagem. Eu sou feliz, e fico triste... Esse é o problema, saber domar!!

BeeijO.

Rapouso disse...

boa galera! muito obrigado a todos que tem comentado! fiquem a vontade para continuar!

ah! hud, a brincadeira do valadarense ce sabe... é bincadeira!

Naty disse...

Eu sou Valadarense, mas a culpa não é minha... xD

Quanto ao verbo "tchubi" eu achei muito engraçado! E gostei desta mudanças repetinas de humor que aconteceram no texto. Pensei q iria terminar triste. Me surpriendeu bastante!
=]